O que ver em

Monção

se ficar

Meio Dia

Comece a visita pela praça Deu La Deu Martins. Esta praça está encostada, pelo lado de fora, ao núcleo original da vila, defendido pelas muralhas circulares medievais, mas ainda dentro da fortaleza abaluartada construída no século XVII.

Aqui pode ver a estátua da heroína lendária Deu La Deu que, com a sua astúcia, terminou um cerco que os castelhanos fizeram à vila. Depois dirija-se à Casa do Curro. Neste belo solar pode visitar a loja interactiva de Turismo e Museu do Alvarinho onde ficará a conhecer melhor a excelência desta casta de Vinho Verde que desde cedo Monção exportou para Inglaterra.

Assim fica a perceber a importância militar e agrícola de Monção.

Pode agora visitar a Igreja da Misericórdia e, depois, entrar no núcleo medieval pela Rua Primeiro de Dezembro. Ao chegar à Câmara Municipal vire para a Igreja Matriz, onde poderá apreciar a capela em memória da heroína Deu La Deu Martins.

Ao sair, siga em direcção à muralha, sobre o Rio Minho, vendo do outro lado a Galiza. Aqui pode encontrar os azulejos com o poema de João Verde: a Galiza mail’ o Minho / são como dois namorados / que o rio traz separados.

Passeie com tempo pela muralha, até encontrar o paiol, e depois regresse, passando pela pitoresca praça da República. Ainda tem tempo para visitar a Casa Museu de Monção, para ver como vivia uma família abastada no início do século XX.

O que ver em

Monção

se ficar

um dia

Comece a visita pela praça Deu La Deu Martins. Esta praça está encostada, pelo lado de fora, ao núcleo original da vila, defendido pelas muralhas circulares medievais, mas ainda dentro da fortaleza abaluartada construída no século XVII.

Aqui pode ver a estátua da heroína lendária Deu La Deu que, com a sua astúcia, terminou um cerco que os castelhanos fizeram à vila. Depois dirija-se à Casa do Curro. Neste belo solar pode visitar a loja interactiva de Turismo e Museu do Alvarinho onde ficará a conhecer melhor a excelência desta casta de Vinho Verde que desde cedo Monção exportou para Inglaterra.

Assim fica a perceber a importância militar e agrícola de Monção.

Pode agora visitar a Igreja da Misericórdia e, depois, entrar no núcleo medieval pela Rua Primeiro de Dezembro. Ao chegar à Câmara Municipal vire para a Igreja Matriz, onde poderá apreciar a capela em memória da heroína Deu La Deu Martins.

Ao sair, siga em direcção à muralha, sobre o Rio Minho, vendo do outro lado a Galiza. Aqui pode encontrar os azulejos com o poema de João Verde: a Galiza mail’ o Minho / são como dois namorados / que o rio traz separados.

Passeie com tempo pela muralha, até encontrar o paiol, e depois regresse, passando pela pitoresca praça da República. Ainda tem tempo para visitar a Casa Museu de Monção, para ver como vivia uma família abastada no início do século XX.

De tarde não deixe de ir visitar o Palácio da Brejoeira, um imponente solar com produção de Vinho Verde Alvarinho.

O que ver em

Monção

se ficar

dois dias

Comece a visita pela praça Deu La Deu Martins. Esta praça está encostada, pelo lado de fora, ao núcleo original da vila, defendido pelas muralhas circulares medievais, mas ainda dentro da fortaleza abaluartada construída no século XVII.

Aqui pode ver a estátua da heroína lendária Deu La Deu que, com a sua astúcia, terminou um cerco que os castelhanos fizeram à vila. Depois dirija-se à Casa do Curro. Neste belo solar pode visitar a loja interactiva de Turismo e Museu do Alvarinho onde ficará a conhecer melhor a excelência desta casta de Vinho Verde que desde cedo Monção exportou para Inglaterra.

Assim fica a perceber a importância militar e agrícola de Monção.

Pode agora visitar a Igreja da Misericórdia e, depois, entrar no núcleo medieval pela Rua Primeiro de Dezembro. Ao chegar à Câmara Municipal vire para a Igreja Matriz, onde poderá apreciar a capela em memória da heroína Deu La Deu Martins.

Ao sair, siga em direcção à muralha, sobre o Rio Minho, vendo do outro lado a Galiza. Aqui pode encontrar os azulejos com o poema de João Verde: a Galiza mail’ o Minho / são como dois namorados / que o rio traz separados.

Passeie com tempo pela muralha, até encontrar o paiol, e depois regresse, passando pela pitoresca praça da República. Ainda tem tempo para visitar a Casa Museu de Monção, para ver como vivia uma família abastada no início do século XX.

De tarde não deixe de ir visitar o Palácio da Brejoeira, um imponente solar com produção de Vinho Verde Alvarinho.

No segundo dia propomos que visite o concelho, começando pelo mosteiro de Longos Vales, onde vai admirar os enigmáticos cachorros capitéis medievais na capela mor românica. O mosteiro é imponente e merece ser admirado.

Siga depois para a Torre da Lapela, majestosa na paisagem, lembrando os tempos em que defendia Portugal das investidas galegas. Um Núcleo Museológico vai explicar a história da torre e a sua importância histórica e, do seu topo, tem uma vista magnifica sobre o vale do Minho

De tarde siga até à Ponte do Mouro, entre Barbeita e Ceivães, onde, em 1386, as delegações portuguesa de D. João I e Inglesa do Duque de Lencastre se encontraram para estabelecer as condições de cooperação os dois países, e o casamento entre o Rei e D. Filipa de Lencastre.

Siga depois para Valadares e veja a riquíssima igreja da Misericórdia. Um passeio pela freguesia vai desvendar outros locais que mostram a importância que Valadares teve quando foi sede de concelho.