O que ver em

Arcos de Valdevez

se ficar

Meio Dia

Arcos de Valdevez é uma vila com muito para ver. Banhada pelo rio Vez, é terra de muita história para descobrir. Num passeio de uma manhã, propomos que se comece por afagar o estômago com os Charutos dos Arcos. Pode escolher a Doçaria Central, na Rua 25 de Abril, para conhecer este doce conventual com recheio de ovos e laranjas de Ermelo.

Propomos que suba a rua até encontrar a Igreja da Lapa, edifício barroco, de planta oval, com alta cúpula, por onde entrará através de uma porta lateral. Mesmo ao lado, voltando de novo em direção ao rio, encontra a pequena e românica Capela de Nossa Senhora da Conceição. Se já lhe apetecer outro café, aproveite para conhecer a pitoresca tasca do Delfim, que fica mesmo defronte.

Siga em direção à Praça do Município onde dará o tempo por ganho ao ver o singular pelourinho manuelino assinado por João Lopes, um dos poucos onde o nome do canteiro é visível. Entre na Igreja Matriz da vila, mesmo ao lado, de belos altares de talha dourada e pinturas de finais do século XVII. À saída, aprecie a vista sobre o rio e a zona da Valeta e depois dirija-se à Igreja do Espírito Santo, hoje um centro de interpretação do Barroco.

A manhã está a chegar ao fim e sugerimos-lhe que passeio pelas margens do Vez. Aqui, numa paisagem bucólica, pode ver a ponte centenária, passear pela ínsua ou tomar contacto com o Recontro do Vez, momento importante da fundação de Portugal evocado pelo monumento da autoria de José Rodrigues.

Antes de saír de Arcos de Valdevez, não deixe de visitar o Paço da Giela, a poucos quilómetros do centro da vila. Este monumento é importante exemplar da arquitetura privada medieval, que foi sofrendo acrescentos. A janela manuelina incrustrada na torre do século XIV é disso o melhor exemplo. Foi recentemente recuperado e acolhe um interessante conjunto de actividades culturais

O que ver em

Arcos de Valdevez

se ficar

um dia

Arcos de Valdevez é uma vila com muito para ver. Banhada pelo rio Vez, é terra de muita história para descobrir. Num passeio de uma manhã, propomos que se comece por afagar o estômago com os Charutos dos Arcos. Pode escolher a Doçaria Central na Rua 25 de Abril para conhecer este doce conventual com recheio de ovos e laranjas de Ermelo.

Propomos que suba a rua até encontrar a Igreja da Lapa, edifício barroco de planta oval, com alta cúpula, por onde entrará através de uma porta lateral. Mesmo ao lado, voltando de novo em direção ao rio, encontra a pequena e românica Capela de Nossa Senhora da Conceição. Se já lhe apetecer outro café, aproveite para conhecer a pitoresca tasca do Delfim, que fica mesmo defronte.

Siga em direção à Praça do Município onde dará o tempo por ganho ao ver o singular pelourinho manuelino assinado por João Lopes, um dos poucos onde o nome do canteiro é visível. Entre na Igreja Matriz da vila, mesmo ao lado, de belos altares de talha dourada e pinturas de finais do século XVII. À saída, aprecie a vista sobre o rio e a zona da Valeta e depois dirija-se à Igreja do Espírito Santo, hoje um centro de interpretação do Barroco.

A manhã está a chegar ao fim e sugerimos-lhe que passeio pelas margens do Vez. Aqui, numa paisagem bucólica, pode ver a ponte centenária, passear pela ínsua ou tomar contacto com o Recontro do Vez, momento importante da fundação de Portugal evocado pelo monumento da autoria de José Rodrigues.

Almoce num dos bons restaurantes da vila e explore os sabores da carne de vaca cachena ou o cabritinho mamão da serra.

À saída de Arcos de Valdevez, não deixe de visitar o Paço da Giela, a poucos quilómetros do centro da vila. Este monumento é importante exemplar da arquitetura privada medieval, que foi sofrendo acrescentos. A janela manuelina incrustrada na torre do século XIV é disso o melhor exemplo. Foi recentemente recuperado e acolhe um interessante conjunto de actividades culturais

O concelho é fértil em belas paisagens e numa rica arquitetura popular e religiosa. Tem duas hipóteses para explorar este rico território.

Em Sistelo, a montanha foi moldada pelo homem e o seus socalcos são o único exemplo de paisagem património nacional. Os melhores locais para apreciar esta paisagem única são Estrica ou Padrão. Por aqui há muito percursos pedrestres de dificuldades diversas, que pode explorar.

A outra hipótese é seguir em direção a leste até ao Soajo, a aldeia que mantém a sua identidade e onde encontra o penedo com os espigueiros. Antes de lá chegar, conheça as mamoas do Mezio e a arte rupestre de Gião, mesmo ao pé da Porta do Mezio, uma das portas de entrada do Parque Nacional Peneda-Gerês. Se depois do passeio pelo Soajo ainda tiver tempo, vá até ao Mosteiro de Ermelo.

O que ver em

Arcos de Valdevez

se ficar

dois dias

Arcos de Valdevez é uma vila com muito para ver. Banhada pelo rio Vez, é terra de muita história para descobrir. Num passeio de uma manhã, propomos que se comece por afagar o estômago com os Charutos dos Arcos. Pode escolher a Doçaria Central na Rua 25 de Abril para conhecer este doce conventual com recheio de ovos e laranjas de Ermelo.

Propomos que suba a rua até encontrar a Igreja da Lapa, edifício barroco, de planta oval, com alta cúpula, por onde entrará através de uma porta lateral. Mesmo ao lado, voltando de novo em direção ao rio, encontra a pequena e românica Capela de Nossa Senhora da Conceição. Se já lhe apetecer outro café, aproveite para conhecer a pitoresca tasca do Delfim, que fica mesmo defronte.

Siga em direção à Praça do Município onde dará o tempo por ganho ao ver o singular pelourinho manuelino assinado por João Lopes, um dos poucos onde o nome do canteiro é visível. Entre na Igreja Matriz da vila, mesmo ao lado, de belos altares de talha dourada e pinturas de finais do século XVII. À saída, aprecie a vista sobre o rio e a zona da Valeta e depois dirija-se à Igreja do Espírito Santo, hoje um centro de interpretação do Barroco.

A manhã está a chegar ao fim e sugerimos-lhe que passeio pelas margens do Vez. Aqui, numa paisagem bucólica, pode ver a ponte centenária, passear pela ínsua ou tomar contacto com o Recontro do Vez, momento importante da fundação de Portugal evocado pelo monumento da autoria de José Rodrigues.

Almoce num dos bons restaurantes da vila e explore os sabores da carne de vaca cachena ou o cabritinho mamão da serra.

À saída de Arcos de Valdevez, não deixe de visitar o Paço da Giela, a poucos quilómetros do centro da vila. Este monumento é importante exemplar da arquitetura privada medival, que foi sofrendo acrescentos. A janela manuelina incrustrada na torre do século XIV é disso o melhor exemplo. Foi recentemente recuperado e acolhe um interessante conjunto de actividades culturais

 

O concelho é fértil em belas paisagens e numa rica arquitetura popular e religiosa.

Em Sistelo, a montanha foi moldada pelo homem e o seus socalcos são o único exemplo de paisagem património nacional. Os melhores locais para apreciar esta paisagem única são Estrica ou Padrão. Por aqui há muito percursos pedrestres de dificuldades diversas, que pode explorar. Acabe o dia na tasca do Delfim a divertir-se com os cantares ao desafio que por lá costumam acontecer ao final da tarde.

Se optou por dormir em Arcos de Valdevez, tome o pequeno almoço no centro da vila ou num café com vista para o rio, antes de se fazer à estrada.

Siga em direção a leste até ao Soajo, a aldeia que mantém a sua identidade e onde encontra o penedo com os espigueiros. Antes de lá chegar, conheça as mamoas do Mezio e a arte rupestre de Gião, mesmo ao pé da Porta do Mezio, onda das portas de entrada do Parque Nacional Peneda-Gerês. Depois do Soajo, vá até ao Mosteiro de Ermelo, antes de rumar ao Santuário de Nossa Senhora da Peneda.

Pelo caminho, passe pelo miradouro do Tibo e deixe-se deslumbrar com a paisagem. Estas são estradas de montanha, onde com frequência nos deparamos com garranos ou cachenas à solta. Já sabe que os animais acham que têm sempre prioridade.