Símbolo da cultural tradicional do Alto Minho, e figura da música popular e tradicional sobejamente conhecida.

O seu conhecimento sobre o género repentista dos nossos “cantares ao desafio” e a sua forma de construção dos versos populares ao estilo do Alto Minho, distingue-o dos demais cantadores.

Frequentemente, os “cantadores ao desafio” optam pela piada fácil e direta, muitas vezes brejeira. Muito embora também ele utilize esse tipo de ironia no contexto próprio, a forma do “Canário” abordar as mais variadas temáticas nos seus cantares e distintiva dos demais. O uso exímio de uma rima inteligente mas com humor, que se adapta a todos os contextos, do mais formal ao mais popular, alargam o espectro desta criativa forma de expressão tradicional.

Augusto “Canário” escreveu as letras das 10 lendas e o Hino do Alto Minho usando a técnica de elaboração da poesia tradicional sobre as quais 6 compositores de referência elaboraram 10 peças corais e um hino.

Assim, a cultural popular da região, tendo como tema as lendas populares, contadas nos versos do povo, vai ser tratada musicalmente, em contraste, por compositores de referencia e relevo da música erudita, clássica, jazz…