Afonso Alves nasceu em 1959 na freguesia da Foz do Douro, concelho do Porto. Toda uma vida ligada ao mundo filarmónico, nomeadamente nas melhores bandas militares portuguesas, tendo ainda reunido uma larga experiência no ceio das bandas civis.

Assim, para além de dirigir a Banda de Música da Região Militar Norte, de 1983 a 1990, pertenceu ao corpo docente do Curso de Formação de Sargentos do Exército (especialidade de música) dando aulas nas disciplinas de Prática Instrumental, Análise e Técnicas de composição, Acústica, Instrumentação e História da Música.

Já na vida civil, desde 1990, tem sido responsável pelos arranjos, orquestrações e respectiva direção de orquestra em vários festivais da canção no nosso país.

Foi professor de saxofone, no Instituto Orff do Porto, solista de  saxofone, oboé e corne-inglês, nas bandas de música: do Exército, do Governo Militar de Lisboa e da Região Militar Norte.

Foi diretor artístico das bandas Marcial da Foz do Douro e Sociedade Musical Banda Alvarense.

Foi o responsável musical pelos projetos filarmónicos e corais integrados no “Porto 2001-Capital Europeia da Cultura” nomeadamente o “Encontro de Bandas da Cidade do Porto”, onde ensaiou e dirigiu uma banda com cento e vinte instrumentistas portugueses e espanhóis numa obra da sua autoria, em sintonia com quadros de fogo de artifício projetados.

Ainda nesse ano foi maestro/diretor do Festival de Música Sénior realizado em Roterdão em 2001, no Grande Auditório Doolen.

Afonso Alves é um dos poucos compositores portugueses editado pela editora holandesa “Molenaar Edition BV” – uma das melhores do mundo para repertório filarmónico. Possui uma extensa obra quer de originais quer arranjos de temas pré-existentes, para bandas filarmónicas. Compôs, a convite da editora Besson Brass Instruments pertencente ao grupo britânico Boosey & Hawkes (outro dos pilares editoriais do mundo filarmónico), a primeira peça de concerto virtuosa para bombardino de autor português, interpretada na estreia por Steven Meed (um dos maiores solistas do mundo).

É autor, na área coral, de inúmeras composições originais baseadas em temas regionais destinadas aos Orfeões locais e de harmonizações sobre vários temas. Ainda nesta área, entre 2001 e 2008, foi docente de Técnicas Vocais no Coral Scola Cantorum.

Na atualidade o maestro Afonso Alves tem uma intensa atividade artística, sendo:

  • docente da Classe de Formação Musical e Técnica Coral na Universidade Sénior da Foz do Douro
  • diretor pedagógico da Academia de Música do Orfeão da Foz do Douro
  • docente e diretor do Curso de Direção de Banda Filarmónica certificado pela Associated Board of the Royal Schools of Music.
  • Maestro e diretor artístico de:
    • Orfeão da Foz do Douro
    • Grupo Coral da Universidade Sénior
    • Orfeão do Porto
    • Orfeão da Banda Visconde de Salreu
    • Grupo Coral dos Serviços Sociais da Caixa Geral de Depósitos
    • Banda Fórum – Filarmónica Portuguesa
    • Banda Visconde de Salreu

Tendo como base a sua larga experiência no mundo filarmónico e no mundo coral, o reconhecimento internacional da sua obra para bandas filarmónicas e coros, o maestro Afonso Alves foi a escolha natural para a composição do Hino do Alto Minho – composição coral acompanhada por banda filarmónica que será apresentada no final do concerto de 20 de Julho de 2019, com o coro Intermunicipal do Alto-Minho em grande palco ao ar livre, nas Cortinas de S. Francisco, junto à muralha de Valença.